quinta-feira, 7 de abril de 2011

Se perdendo no turbilhão...

Faz um tempinho que não sentia vontade de escrever, mesmo sendo essa a forma que melhor me comunico ou que consigo me livrar das minhas angústias. Desde que descobri que estou grávida, vivo um turbilhão de emoções, as vezes muito cruéis, mas penso que, de alguma forma, todas as grávidas passam por isso.

A primeira grande emoção cruel, foi logo que descobri a gravidez, estava sangrando há um mês e por isso fui na médica. Achava que ia morrer, quando na verdade carregava uma vida com direito ao som do coração batendo como trilha sonora do dia! Foi lindo e assustador, chorei como se tivesse perdendo algo muito importante, pois do jeito que sangrava, achei que meu filho não sobreviveria, mas graças a Deus ele continua aqui, meu peixinho, nadando dentro de mim... E isso faz com que eu queira viver muito mais!

A cada dia que passa experimento essas emoções e descubro sentimentos novos, em mim e nas pessoas que me cercam, meus amigos, minha família, meu namorado. Não é fácil controlar seus sentimentos e ainda querer controlar os dos outros, mas eu sempre fui assim, sempre me incomodei com o que os que eu amo sentiam, e agora muito mais, pois os meus próprios sentimentos eu não consigo mais controlar ( se é que já consegui!)...

Me sinto impotente ultimamente, sem poder fazer tudo do meu jeito, sem poder fazer com que todo mundo se sinta feliz como eu. Além disso, todas as discussões que sempre detestei, aparecem nesse sublime momento para destruir todo romantismo: descobri que dinheiro tem um valor muito importante para todas as pessoas, até as que nem combinam com esse tipo de pensamento e que, definitivamente, praticidade = dinheiro.

Não acho justo uma sonhadora como eu, ter que se desencantar quando deveria viver só o seu maior encantamento, mas essa é a vida real, e tenho que me torna mais prática, muito mais paciente e mais segura, para garantir um pouco do encanto!

Viver rodeada de potenciais depressivos e pessimistas de plantão não serviu para me tornar um deles, muito pelo contrário, me fez repudiá-los, portanto não queiram eles, agora, tirar minha alegria com suas razões, não preciso delas.

Preciso sim de muito carinho e da canção do poetinha: "venha se perder, nesse turbilhão, não se esqueça de fazer tudo que pedir esse seu coração!"
Não esquecerei!

4 comentários:

Aninha disse...

Parabéns Joana...criança é vida, é luz, é alegria e ninguém pode tirar de você esse momento único. Fiquei muito feliz por você, te cuida e cuide do seu glorioso peixinho! Viva!!!!!!

Bruna Serra disse...

Oi Joana.
Eu não acho que praticidade é igual a dinheiro. Dinheiro é para construir também. Um sonho, um momento...Você não tem que se desencantar ou deixar de sonhar, talvez precise apenas perceber o mundo de outra forma, que não é sempre boa, nem sempre ruim. Mas cheia de nuances.

Mil Lago disse...

Que lindo Joaninha! Confesso que me tirou lágrimas, acho que me identifiquei com o sangrando há 1 mês. Mas acredito que no meu caso foi justamente por ter voltado a tomar o anti. Que momento lindo!
Vi uma foto da sua barriguinha na praia e fiquei encantada. Grande b!

Maria Joana disse...

Adoro o carinho de todas e fiquei muito feliz ao ler tudo q li sobre esse post!
Bruna, é justamente por isso que praticidade é igual a dinheiro, pra construir, e foi a única coisa sobre dinheiro positiva na frase, só que na verdade todas sabemos q na construção da vida é preciso bem mais q dinheiro e a maioria das pessoas se predem muito a isso... Gosto e preciso muito de dinheiro, mas quero que ele tenha sempre o valor certo! E aí Mil, já tem certeza q foi o anti? Olhe, olhe!!! hahahaha
Um beijão nosso em todas!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...